A importância de nossos pais

Cinco dicas para reconstruir e fortalecer as relações familiares durante a adolescência, um dos períodos mais desafiadores da nossa vida

Todos nós, nos primeiros anos de vida, aprendemos pelo exemplo. Ainda pequeninos, imitamos os adultos em suas atitudes e atividades diárias; mais tarde, na pré-adolescência, idolatramos nossos pais e buscamos reproduzir a forma como eles se comportam para conquistar atenção e aceitação. Esse padrão começa a mudar, claro, na adolescência.

Para construirmos nossa independência, começamos a questionar e a discordar de nossos pais. É nessa hora que muitos conflitos aparecem, mas é importante saber lidar com todas essas transformações. Afinal, o apoio da família é fundamental nesse momento decisivo da sua vida escolar que vai envolver, em breve, a escolha de uma profissão. Nossos pais, na maior parte dos casos, são nossos maiores apoiadores e principais aliados na conquista de nossos sonhos e na realização de nossos projetos.

Se você está atravessando esse momento e acha que sua família não te entende, leia com atenção este texto que preparamos para celebrar o Dia dos Pais. As 5 dicas a seguir vão ajudá-lo a entender melhor esta fase da sua vida e a construir uma relação sólida para aproveitar plenamente todo o apoio que sua família pode lhe oferecer.

1.      Converse muito!

Seu pai e sua mãe já foram adolescentes, viveram e superaram tormentas emocionais, lutas, constrangimentos, mudanças de humor e conflitos semelhantes aos que você está vivendo. São, portanto, os melhores amigos que você pode ter para conversar e tirar dúvidas sobre o que você está vivendo. Converse francamente, exponha suas preocupações e peça ajuda. Seus pais perceberão a importância que têm em sua vida e passarão a encarar as suas tempestades de outra forma.

2.       Refaça combinados

A tendência dos pais, em geral, é a de tentar manter as rotinas que funcionam há um bom tempo na família, mas você agora cresceu e precisa de novos ritmos. Converse com eles sobre horários de ir para a cama, por exemplo, sobre filmes e livros que gostaria de assistir ou ler, sobre passeios com os amigos. Em resumo, negocie novos combinados. Negociar é uma arte e implica em fazer concessões em alguns pontos. Você pode, por exemplo, conseguir escapar de alguns eventos familiares menos importantes se concordar em participar de outros que sejam realmente fundamentais para seus pais.

3.       Afine as expectativas

Seus pais esperam algumas coisas de você, assim como você espera algumas concessões deles. Uma das principais cobranças que você vai receber, claro, é o rendimento escolar, ou nos exames de admissão em universidades. Converse sobre essas expectativas e exponha as dificuldades que você está enxergando para atingi-las, se for o caso. Pedir ajuda antes de chegar com uma nota muito baixa numa prova, ou uma recuperação, vai ajudar a manter seus pais atualizados sobre o momento escolar que você vive e criará a oportunidade para que vocês trabalhem em conjunto para superar problemas.

4.       Crie o seu território

Nessa fase da vida, muitas vezes, os pais ainda acham que precisam controlar absolutamente tudo o que você faz. E não é mais assim. Explique você tem direito à privacidade. Para que eles aceitem melhor essa novidade, vocês precisão construir uma relação de confiança. Tome a iniciativa, informando-os sempre sobre onde você estará, com quais amigos vai sair, e qual vai ser a agenda do passeio, por exemplo. De posse dessas informações, e percebendo que você age com responsabilidade, eles se sentirão mais confiantes. E se você enfrentar algum problema, peça ajuda a eles. Perceber que eles são o seu porto seguro vai deixá-los mais tranquilos.

5.       Diga sempre a verdade

Muita vezes, por medo de que seus pais não o deixarem fazer um certo programa, você pode se sentir tentado a mentir. Esse é um erro fatal. Nenhuma relação construída sobre mentiras pode ser saudável. Quando uma mentira é descoberta, ela gera uma quebra de confiança, com consequências para você. Além da eventual punição pela mentira, você provavelmente passará a ter mais negativas para futuros passeios e uma rotina mais vigiada. Portanto, seja absolutamente verdadeiro sempre, mesmo que isso signifique perder um passeio que você queria muito fazer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu