Como sobreviver à reta final dos estudos

Como os métodos metacognitivos do Programa MenteInovadora podem ajudá-lo a vencer a maratona de provas e estudos do final de ano.

Um dos grandes desafios para quem está concluindo o Ensino Médio é conciliar a carga de responsabilidades que se acumulam nesta época do ano. Com as datas dos vestibulares, da prova do Enem, e das provas finais da escola se aproximando, muitas vezes bate aquela ansiedade: será que eu vou dar conta de estudar tudo?

Ah, e ainda tem os preparativos para a formatura… Que só vai acontecer se você conseguir solucionar aquelas notas que não estão tão boas naquelas disciplinas que você não gosta muito, não é mesmo?

Calma, os métodos metacognitivos do Programa MenteInovadora estão aqui para te ajudar. Quer saber como? Então confira essas dicas.

Método do Espelho: onde estou e para onde vou?

Se você vem estudando com seriedade, sua situação não deve estar tão desesperadora assim. Então o que você precisa agora é entender as suas fraquezas, aceitá-las e trabalhar para superá-las.

Tentar negar a realidade não ajuda a avançar. Quando você deixa de enfrentar um problema, ele continua lá. E por mais que tente contorná-lo, ele vai se jogar na sua frente bem quando você menos espera… Numa questão crucial da prova do vestibular, por exemplo.

Portanto, que tal usar o Método do Espelho para começar a vencer suas dificuldades? O objetivo é desenvolver a autoconsciência, o respeito por si próprio e a humildade. Acompanhe os passos que você precisa dar para conquistar essas habilidades:

  1. Reconhecimento – Nem sempre é fácil admitir nossos erros e fraquezas. Em geral, tentamos nos eximir da culpa ou jogar para os outros as responsabilidades pelo fracasso, usando técnicas de negação. “O professor não explicou direito”, ou “eu estudei, mas o conteúdo é difícil”, por exemplo. Você precisa aceitar uma verdade na vida: ninguém é perfeito, nem infalível. Você não seria o primeiro. Então, alimente uma genuína vontade de mudar, aceite que errar é normal, e que quem não tenta, jamais alcança. E parta para o passo 2 com a cabeça aberta e a tranquilidade de quem sabe que, quando os problemas e são seus, você sempre será capaz de solucioná-los.
  1. Análise – Agora que você já consegue admitir sua responsabilidade no processo, faça uma análise objetiva do que está faltando para se desenvolver naqueles conteúdos e como você pode implementar soluções que ajudem nesse sentido. Pense em soluções alternativas. Se você já se matou de estudar um conteúdo de Física, por exemplo, e ainda assim não consegue entendê-lo, não adianta insistir no modelo. Procure ajuda externa, com amigos que entendem melhor ou pedindo a ajuda do professor, por exemplo.
  1. Implementação – Não basta ficar apenas no plano teórico. Coloque em prática as soluções que você desenhou para melhorar o seu desempenho.

Bom, agora você deve estar se perguntando: mas esses caras estão me sugerindo criar mais cargas de estudos neste momento em que já estou atolado? Não, claro que não. A ideia é se concentrar no que precisa de reforço. E para organizar melhor esse cenário, você vai poder usar outro método metacognitivos do Programa MenteInovadora: o Método do Pintor. Confira como:

Metódo do Pintor: o quadro do seu futuro

Você é o autor do seu futuro. E vai pintá-lo num quadro. Para isso, vai precisar de um tanto de memória e de criatividade. Com este método, você aprende a identificar todas partes que compõem o todo do quadro que você quer pintar. E consegue, dessa forma, focar sua atenção no que é verdadeiramente importante para o seu objetivo. O método se divide em tês etapas.

  1. Definir as margens da imagem – Diante das inúmeras demandas que você tem neste momento, é importante estabelecer quais devem ser realmente priorizadas. Um pintor começa um quadro delineando as suas Isso ajuda a focar que é realmente importante para o seu objetivo, e tira um peso enorme das suas costas. Coloque então uma “moldura” no seu quadro e trabalhe sobre o que é importante.
  1. Subdividir o quadroem segmentos – É importante dividir a pintura em regiões. Isso ajuda a organizar os detalhes em cada uma das zonas e a memorizar o que você precisa saber para chegar ao seu objetivo. Quando está estudando para uma prova, por exemplo, você pode pode desenhar um esquema visual do assunto.
  1. Construir uma cadeia de conexões – É muito mais fácil nos lembrarmos de informações conectadas logicamente do que de informações Desenvolver  estratégias para criar ou estabelecer conexões (uma história ou uma frase, por  exemplo) entre os elementos de que precisará se lembrar.

Estes são apenas dois exemplos de como você pode usar os métodos metacognitivos que aprendeu nas aulas MenteInovadora a seu favor na reta final de estudos. Muitos outras aplicações são possíveis. O método da Escada, por exemplo, pode ajudá-lo a determinar os passos que devem ser tomados para você dominar um conteúdo específico de uma disciplina, por exemplo. E o das Aves Migratórias pode ajudar na montagem de grupos de estudos muito eficientes com seus amigos. Ah, e na hora das provas, lembre-se sempre do Método do Semáforo: pare, pense e só então responda.

Com muito trabalho e todas essas habilidades a seu favor, você certamente chegará mais longe do que imagina.

Bons estudos!?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu