Use o MenteInovadora e aprenda a evitar o coronavírus – Parte 2

E aí, curtiu pesquisar sobre o assunto do momento? E será que você chegou às respostas que precisava? Dá só uma olhada no trabalho que a galera do Mindzup fez por aqui para te balizar.

Método do Detetive

O objetivo era descobrir como evitar o coronavírus. Então, as perguntas iniciais teriam de girar em torno das medidas de precaução:

  • Como o coronavírus é transmitido?

Por enquanto, o que se sabe é que o vírus é transmitido de pessoa para pessoa por gotículas respiratórias, ou contato físico próximo. Se você estiver numa distância inferior a um metro de uma pessoa, pode estar exposto à contaminação. As formas mais comuns de transmissão ocorrem por gotículas de saliva expelidas em espirros, tosse, e também por contato físico, como aperto de mão, seguido de contato das mãos com a boca, nariz ou olhos. Da mesma forma, tocar objetos que são manuseados por muita gente pode gerar contaminação. Nessa linha, cutucar o nariz com o dedo, roer unhas e esfregar os olhos com as mãos são hábitos que precisam ser combatidos.

  • Como eu evito ser contaminado?

As recomendações mais comuns dos organismos de saúde são:

  • Lave as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos. Na falta de água e sabonete, tente usar álcool gel.
    • Evite tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
    • Evite contato próximo com pessoas doentes.
    • Cubra boca e nariz, ao tossir ou espirrar, com um lenço de papel e jogue no lixo.
    • Limpe e desinfete com álcool objetos e superfícies tocados com frequência.
    • Fique em casa se estiver doente, mesmo que não tenha resultado definitivo sobre a contaminação.
  • Como eu posso saber se estou contaminado?

Os sintomas mais comuns do coronavírus são febre, tosse, dificuldade para respirar, produção de catarro, congestão nasal ou conjuntival, dificuldade para deglutir, dor de garganta e coriza. Para saber se está contaminada, porém, qualquer pessoa com esses sintomas deve procurar os serviços médicos para ser testada, porque esses são sintomas comuns a gripes e resfriados.

Método do Semáforo

Sabendo as formas de contágio e as melhores precauções para evitar a doença, você aplicou o método do semáforo para responder às seguintes situações. Será que tomou as decisões corretas?

  • Seis amigos querem se encontrar para uma partida de um jogo de tabuleiro em ambiente fechado, na casa de um deles. Será que é seguro?

Sabendo que objetos manuseados por muita gente podem transmitir o vírus, especialmente em contato próximo e num ambiente fechado, a resposta para esta situação é: não, você não estará seguro se reunir os amigos para esse jogo.

  • A sugestão é passar a tarde jogando beach vôlei na quadra ao ar livre do clube. Rola?

Ok, a bola vai passar de mão em mão, mas vocês estarão ao ar livre, a uma distância maior uns dos outros. Se você prometer não tocar os olhos, nariz e boca durante o jogo, e lavar bem as mãos e o rosto ao final da partida, esta pode ser uma boa programação com a galera.

  • A turma quer fazer um rolezinho no shopping. Será que é seguro?

Novamente, o encontro envolve um local fechado. E todos vão andar próximos e tocar em muitos objetos. Melhor deixar para o final da epidemia.

  • A galera quer dar umas boas risadas com o filme que acabou de estrear no cinema. Que tal?

Novamente, ambiente fechado e de grande proximidade com outras pessoas. Melhor evitar.

Método Árvore do Pensamento

Aqui, a ideia era sugerir uma reflexão pessoal sobre o papel social de cada um momento de crise coletiva. Se o seu texto girou em torno de abrir mão de suas satisfações pessoais, pensando em diminuir a propagação do vírus para reduzir os riscos para aqueles que estão mais suscetíveis, como idosos e pessoas com doenças crônicas que as tornam mais vulneráveis, você achou o caminho certo de raciocínio.

Agora que você se tornou um expert no assunto, espalhe essa ideia. Quanto mais as informações corretas se espalham, mais cedo deteremos o avanço do vírus. Faça parte dessa vitória!

2 Comentários. Deixe novo

  • Eliane Carvalho de Sousa
    junho 17, 2020 17:22

    Vamos compartilhar e fazer a nossa parte se cuidando e cuidando do próximo.

    Responder
  • COARACI CORA OLIVEIRA DA CUNHA
    outubro 4, 2020 10:44

    Por mais que seja desconfortável usar as máscaras, as pessoas devem usar, é questão do bem estar social que se encontra em jogo! É desconfortável você estar em transporte público e ter pessoas que insistem em não usar a máscara de forma correta, e o cobrador ter que ficar a todo momento pedindo para a pessoa arrumar a máscara no rosto!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu