Dicas incríveis para suas férias!

A quebra de rotinas é uma ótima oportunidade para aprendermos a gerenciar o próprio tempo. E para que façam as descobertas mágicas que todos nós carregamos como lembranças pelo resto de nossas vidas – o primeiro acampamento, a primeira viagem sem os pais, o primeiro amor… Haja aprendizado!

Para ajudá-lo na tarefa de guiar parte dessas descobertas, elaborei uma lista com 16 atividades em família que vão reconectá-los com o mundo real e tornar as férias inesquecíveis.

A força da Natureza…

Tire os sapatos ou tênis, sinta o chão sob seus pés, brinque na chuva, coloque as mãos na terra. A natureza está aí para ser vivida! Além disso, usar as mãos para criar os próprios brinquedos é transformador. Nos ensina que somos capazes de mobilizar nossa inteligência para criar algo concreto com que podemos nos divertir.
Confira 3 atividades que vão te ajudar nessa reconexão.

Horta no Caixote

Dica 1

Material:

  • Engradado de uvas
  • Terra ou humus para plantio
  • Isopor picado
  • Manta de jardinagem (bidim)
  • Seis mudas de hortaliças
  1. Encha o fundo do engradado com isopor picado;
  2. Forre a superfície sobre o isopor com um pedaço de manta de jardinagem (bidim);
  3. Coloque uma camada de terra preta sobre a manta e plante seis mudas de hortaliças – podem ser cebolinha, salsinha, rúcula e beterraba, por exemplo;
  4. Regue duas vezes por dia com spray de água até encharcar o solo e coloque o caixote no sol do início da manhã e do fim da tarde.

Você vai amar ver as mudas que plantou crescerem.

Construa uma Pipa!

Dica 2

Materiais:

  • 1 vareta de 52 cm;
  • Outra vareta de 30 cm;
  • 1 carretel de linha 10;
  • Régua e lápis (ou caneta);
  • 1 folha de papel de seda
  • Cola branca
  1. Com a régua, meça 18 centímetros a partir de uma das pontas da vareta de 52 centímetros e faça uma marcação com lápis ou caneta;
  2. Na vareta de 30 centímetros, faça uma marcação de 15 centímetros;
  3. Junte as duas varetas nos pontos marcados formando uma cruz;
  4. Use a linha para prender as duas varetas nesse formato, dando cinco voltas para cada lado;
  5. Ligue as 4 extremidades da cruz com a linha, amarrando-a em cada uma das pontas;
  6. Passe cola na vareta maior e cole-a na folha de papel de seda;
  7. Com a caneta ou o lápis, marque o contorno da estrutura. Lembre-se de deixar uma borda de cerca de 1 centímetro.
  8. Recorte o papel no ponto marcado no passo anterior e faça cortes nas pontas no sentido das varetas, para facilitar a dobra.
  9. Passe cola nas bordas do papel e dobre envolvendo a linha;
  10. Amarre uma linha nas duas extremidades da vareta menor, passando pela frente da pipa, para fazer o estirante.

    Desse modo, sua pipa está pronta! Em seguida, prenda o carretel no estirante e leve a um ponto descampado e sem fios de rede elétrica para sentir a força do vento!

Crie um pluviômetro:

Dica 3

Nos ensina que somos capazes de mobilizar nossa inteligência para criar algo concreto com que podemos nos divertir.

Materiais:

  • Garrafa pet lisa
  • 3 clipes de papel
  • Régua
  • Caneta permanente
  1. Corte o tampo da garrafa onde termina a parte curva;
  2. Preencha o fundo da garrafa com pedras até a altura de 3 centímetros;
  3. Preencha o fundo com água até cobrir as pedras, na marca de 4 centímetros;
  4. Com a caneta, faça uma marca na linha da água. Esse será o seu ponto zero;
  5. Com a régua e a caneta permanente, marque o restante da garrafa indicando os centímetros e milímetros;
  6. Tire a tampa do bico que você recortou da garrafa no passo “a” e coloque-o invertido na abertura da garrafa, na posição de funil. Prenda com os clipes de papel;
  7. Coloque a garrafa numa superfície plana do lado de fora para que possa captar água da chuva.

Depois de cada chuva, lembre-se de conferir quantos milímetros a água subiu no seu pluviômetro caseiro!

A força do lúdico…

Sem dúvida, nada vence a força de uma boa história, um teatrinho, uma brincadeira de faz de conta, um jogo. Uma vez que, além de estimular a criatividade, o lúdico aumenta os conhecimentos e desenvolve as habilidades sociais e emocionais por meio de jogos, danças e músicas. Assim, a representação da realidade num ambiente controlado é um instrumento poderoso de análise, reflexão, aprendizado e muita diversão.

Confira a seguir 7 brincadeiras que podem ajudá-lo a viajar fora do mundo da realidade.

Monte uma peça teatral:

Dica 4

Junte um grupo de amigos, um punhado de roupas, panos, fantasias e solte a imaginação na criação de uma peça teatral. Esta atividade pode ser adaptada de acordo com a idade. Isto é, vale fazer uma releitura de uma peça que vocês assistiram, ou simplesmente criar uma história totalmente nova em conjunto com os amigos e familiares, que podem ir vestindo as fantasias e imaginando as cenas. Por fim, outra possibilidade é encher uma sacola com pedaços de papéis onde estão escritos nomes de personagens diferentes: princesa, rei, sapo, pirata, etc. À medida em que você vai sorteando um personagem, uma nova pessoa entra em cena e inventa uma continuação da história.

Crie uma História em quadrinhos!

Dica 5

Antes de tudo, reúna uma boa quantidade de gibis diferentes, apresente à turma e proponha a criação coletiva de uma história desenhada com começo, meio e fim. Você pode começar com uma tira – em geral com três ou quatro quadros – e ir ampliando, à medida que eles demonstrarem interesse pelo gênero, para uma página ou mesmo um livro inteiro.

Memória Musical:

Dica 6

Surpreendentemente, este jogo de memória usando músicas é sucesso absoluto entre a garotada. Você precisa reunir um grupo de amigos. Quanto mais crianças juntas, mais divertida é a brincadeira. Confira as regras:

  1. Escolha uma criança para se afastar do grupo.
  2. Enquanto essa criança está longe, os demais formam pares entre si.
  3. Cada par escolhe a primeira frase de uma música bem conhecida.
  4. Assim, uma criança irá cantar metade dessa frase e a outra cantará o complemento. Por exemplo: se a música escolhida for “Marcha Soldado”, a primeira criança cantará “Marcha soldado…” e a segunda cantará “Cabeça de papel!”
  5. Quando todas as duplas tiverem escolhido suas músicas, o grupo forma uma círculo. O ideal é que os pares fiquem bem misturados.
  6. A criança que estava afastada volta e vai para o centro do círculo. Sempre que ela apontar para uma criança da roda, ela deve cantar o seu trecho de música.

O objetivo de quem está no centro é memorizar o local de cada trecho de música para identificar as duplas.

Na próxima semana apresento as demais atividades para você se divertir ainda mais! Até lá! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu